Luis Horta e Costa Sobre a Sua Carreira

Luis Horta e Costa, sócio fundador da Square View, uma empresa de desenvolvimento imobiliário sediada em Portgual, reuniu-se com a Monthly Property News para discutir a sua experiência como ex-pat em Portugal. Partilhou como a sua filosofia de investimento e forte ética de trabalho levaram ao sucesso em Portugal e permitiram-lhe encontrar sucesso no estrangeiro.

As suas conquistas

Luis Horta e Costa iniciou a sua carreira como banqueiro de investimento em 1988 no Banco de Investimento e de Crédito, onde permaneceu até 1995 “para obter alguma experiência”. Fundou então uma empresa de capital de risco, BESIEM (Banco Espirito Santo Investimento, Empreendimentos e Mercados), onde permaneceu até 1997. Horta e Costa fundou então a sua primeira empresa de desenvolvimento imobiliário, a Parkstone International, que foi adquirida pelo conglomerado britânico St. Modwen Properties Ltd em 2010. “Desenvolvemos um grande centro comercial com 80.000 metros quadrados [8 hectares] em Portugal, e depois fomos para o Reino Unido”.

Horta e Costa é agora o presidente da Square View; uma empresa de desenvolvimento imobiliário focalizada em Portugal. Também detém o cargo de Vice-Presidente da St. Modwen Properties Ltd., onde foi nomeado em 2014, após ter exercido o cargo de director durante cinco anos, desde 2010. Embora esteja sediado principalmente em Portugal, Horta e Costa visita frequentemente o Reino Unido para se encontrar com a sua equipa e investidores. Para evitar ter de passar tempo à espera de voos, Horta e Costa viaja de avião privado de Lisboa para Birmingham, onde se encontra o escritório de St. Modwen em Londres.

Horta e Costa viajou pela primeira vez para Portugal em 2004, numa missão de dois anos como CEO da Venture Capital no SIEM. Em Portugal, rapidamente percebeu que “as pessoas conheciam-se, viviam juntas e tinham uma atitude de aceitação e gratidão”. Horta e Costa explicou que “havia um sentimento de gratidão pelo que se tem”.

Depois de regressar ao Reino Unido durante vários anos, Horta e Costa decidiu em 2010 que era altura de fazer de Portugal a sua casa. Ele viveu com a sua esposa numa casa na cidade com vista para o oceano até 2015, quando decidiram construir a casa dos seus sonhos em Freunde.

Há várias razões pelas quais Horta e Costa decidiu investir em Portugal, nomeadamente, a atitude positiva do seu povo e a falta de aspirações de emigrar. “Em Portugal, nunca senti qualquer pressão…nunca ouvi um português queixar-se da situação económica ou política”, explicou ele. Horta e Costa também descreveu a sua experiência inicial com promotores imobiliários em Portugal como refrescante e honesta. Explicou que “é muito transparente…assim que se investe num projecto, tem-se acesso a todo o livro…para ver como funciona”.